23/01/16

http://guaraniportugues.blogspot.com/ Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani. Cecy Fernandes de ASSIS

http://www.jica.go.jp/paraguay/espanol/office/others/c8h0vm00003ls9qk-att/catalog.pdfhttp://www.jica.go.jp/paraguay/espanol/office/others/c8h0vm00003ls9qk-att/catalog.pdf

10/01/16

ARAPOTY - ANA CELESTE AQUINO MARTINEZ



http://guaraniportugues.blogspot.com/

Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani.
Cecy Fernandes de ASSIS

CHE POYVI - SOL FIORELLA LOPEZ AGUILERA



http://guaraniportugues.blogspot.com/

Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani.
Cecy Fernandes de ASSIS

05/12/15

01/04/15

chipa guazù estilo campo paraguayo



http://guaraniportugues.blogspot.com/

Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani.
Cecy Fernandes de ASSIS

16/02/15

Che kuairũ resa, de Francisco Martín Barrios, recitada por Rudi Torga



http://guaraniportugues.blogspot.com/

Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani.
Cecy Fernandes de ASSIS

Che kuairũ resa, de Francisco Martín Barrios, recitada por Rudi Torga



http://guaraniportugues.blogspot.com/

Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani.
Cecy Fernandes de ASSIS

08/06/14

Pukarã /Piada

http://guaraniportugues.blogspot.com/Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani.Cecy Fernandes de ASSIS


Oĩ peteĩ hesatũ ha peteĩ karai kavaju árigua ohasa hesatũypýpe. Hesatũ he’i ichupe: ― Cheraha nendive kavaju ári./Havia um cego e um homem montado a cavalo passou ao lado do cego. O cego disse-lhe: ― Leve-me contigo no cavalo.
― Iporã, rorahata, he’i ichupe. Ha upéi opyta hikuái kavaju árigua. Karai ojogua salame ha hesatũ he’i ichupe: ― Eme’ẽ chéve peteĩ vore ne salame./ Está bem, vou levar-te, disse-lhe. E assim ficaram os dois montados no cavalo. O senhor comprou salame e o cego disse-lhe: Dê-me um pedaço do salame.
― Iporã, ame’ẽta ndéve. Upéi karai kavaju árigua he’i hesatũme: ― Mba’éichapa ne remaña che ahasahague nde ypýpe kavaju áripi./ Está bem, vou te dar. Então o senhor montado no cavalo disse ao cego: ― Como tu viste que eu passava a teu lado montado no cavalo?
― Ha mba’éicha remaña salame ha’úhague./ E como viste que eu comia salame?
Hesatũ he’i: ― Ahetũ salame. Oho hikuái jevy kavaju áripi./ O cego disse-lhe: Eu cheirei o salame. E eles continuaram montados no cavalo.
Ha upéi tape áripi ohasa peteĩ yvyra rakã. Karai ojayvy yvyragui. Hesatũ ho’a.
Então sobre o caminho passava um galho de árvore. O senhor abaixou-se sob o galho. O cego caiu.
Hesatũ he’i: ― Mba’ere nderéiri chéve yvyra oĩ hague./ O cego disse-lhe: Por que não me disseste que havia uma árvore?
 Karai he’i ichupe: Che aimo’ã rehetũta hague./ O senhor disse-lhe: Eu pensei que tu havias cheirado.