28/10/09

Jagua Ha Ha’anga O cachorro e sua imagem

Jagua Ha Ha’anga


Ndojekuaái Ijahohare Autor desconhecido
Conto em Guarani/avañe'ë


Peteĩ jagua ogueraha ijurúpe so’o pehẽngue guasu.
‘Iporãitépa! He’i ijúpe guarã. Arahata che rógape ha’u haguã che aikuaháicha.

Um cachorro levava na boca um pedaço grande de carne.

‘ É muito bom! Diz para si mesmo. Vou levá-lo a minha casa para comê-lo como sei.’

Hápe rupi ohasa peteĩ ysyry. Pe y morotĩ hesakãme ohecha sapy’a jagua ha’anga. Ha’e ha’e oimo’ã ambue jagua oguerekóva avei so’o pehẽngue, tuicháva ijurúpe.
No caminho passa um rio. Nas águas claras, de repente, o cachorro vê sua imagem. Ele pensa que é outro cachorro que também leva um pedaço grande de carne na boca.
Iñembyahyrekógui, ojejurupe’a ha oity iso’o pehẽngue ogueraha va´ekue ijurúpe, ojapyhy haguãpe so’o oguerekóva ambue jagua.

De tão esfomeado, abriu a boca e largou a carne que levava na boca para apanhar a carne que levava o outro cachorro.

So´o oñapymirõ jepe huguaite peve pe ysyrýpe. Ndojuhúi ambue jagua. Ipahápe ohechakuaa iñembuahyirekógui okañyhague ichugui iso’o pehẽngue.

Ao afundar a carne, foi até o fundo do rio. Ele não encontrou o outro cachorro. Afinal percebeu que sua gula pegou dele seu pedaço de carne.

Moñe’epyrã: Yporave peteĩ guyra ñande pópe ha ani heta ovevéva amo yvate rupi.

Conselho: É melhor um pássaro na mão que muitos voando no alto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguyjevete ne ñe'ë. Obrigada pelo teu comentário.