20/02/10

Arte y bocabulario de la lengua guarani

http://guaraniportugues.blogspot.com/Arte y bocabulario de la lengua guarani

Por Antonio Ruiz de Montoya

http://books.google.com/books?id=TeTs0bFG-fcC&dq=arte+y+bocabulario+de+la+lengua+guarani&hl=pt-BR&source=gbs_navlinks_s

Aparecera sempre no marcador: Montoya.

http://guaraniportugues.blogspot.com/
Transliteração para o português: Cecy Fernandes de Assis


Capítulo 4 (cont.): Nomes comparativos, superlativos, diminutivo, numeral, ordinal, distributivo e partitivo. (páginas 42 a 44)
Do Relativo R e o recíproco O

Todo substantivo, verbo ou qualquer parte da oração que não iniciar pelas letras T H R serão iniciadas por I no relativo e O no recíproco.

Jára: Amo, senhor.

Che jára: Meu amo, meu senhor.

Yjára: Seu amo, seu senhor,

Ojára: Recíproco.

Muitas vezes, no relativo (I) e o recíproco (O), usa-se a forma H.

Yva,: Fruta.

Hi’a: Sua fruta, tem fruta,

Ho’a: Recíproco.

Veja o capítulo sétimo, onde se explicam os relativos e recíprocos.
O substantivo Sy, mãe, admite a forma H no relativo.
Sy: Mãe.
Ichy: Sua mãe.
Recíproco Ñe e Je

Je é Recíproco, por isso mesmo, e serve a verbos ativos simples e compostos.

Amombe’u: Eu conto, eu digo,

Añemombe’u: Eu me descubro, eu me confesso.

Amboava: Eu faço-lhe homem.

Añemboava: Eu me faço homem.

Destes verbos alguns se fazem neutros com casos regidos de posposição.

Añemombe’u che angapapakuéra rehe. Eu confesso meus pecados.

Outros se fazem absolutos sem regência de casos.

Ajeayhu: Eu me amo.

Usa-se o Je, também, não como recíproco exatamente, mas como passivo.

So’o oje’u: Come-se carne.

Mba’e pohýi’ỹmba’e ojeraha katu: Aquilo que não é pesado carrega-se bem.

Recebe dativo de dano, perdas ou proveito.

Mbujape oje’u katu ava upe: O pão é comestível ao homem (o pão pode ser comido pelo homem).

Pyra ndoje’u katúi ava upe: O cru não é (coisa) comestível para o homem.

Todas as vezes que o Recíproco je une-se a um verbo começado por M, ele é convertido em Ñe.

Ambo’e: Eu Ensino.

Añemombo’e: Eu aprendo.

E também, todas as vezes que se unir a uma palavra nasal o je se converterá em ñe.

Ainupã: Eu castigo.

Aiñenupã:Castiga-se.

Com os demais verbos que não começam por M ou não são nasais, o je não muda para ñe.

Ajejuka: Eu me mato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguyjevete ne ñe'ë. Obrigada pelo teu comentário.