01/10/10

Karai oktúbre ha jopara - O Senhor Outubro e o jopara


http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/karai-octubre-y-jopara
davidgaleanoolivera@gmail.com
ateneoguarani@tigo.com.py


Ko 1º. jasypa, ñane retãme ojegueromandu'ajevýta peteĩ jepokuaa mbarete ojaitypóva ha opavave oikuaáva. Upeichaite, oñepyrữvo ko jasypa, osẽta ka'aguýgui peteĩ ava imba'ekuaáva hérava Karai Octubre. Kuimba'e oikóva pynandi, hovasy ha oñemonde Paraguáiva: akão kapi'i ha avei oguerekóva peteĩ tejuruguái ipópe.
No dia 1º. de outubro, revive-se no Paraguai uma tradição forte e arraigada e conhecida de todos. Assim, com o inicio do mês de outubro, sairá da floresta uma personagem mítica chamada Senhor Outubro. Homem descalço e de cara muito séria, vestido como um agricultor paraguaio; com um chapéu de palha e carregando um desafiante chicote de cipó nas mãos.
Opavave jaikuaa jasypápe ojehasa'asyha oparupiete ha upéi ae yvy oñepyrữjevytaha ome'ẽ opaichagua temitỹ: avati, mandi'o, yva ha ambuéva. Jasypápe ndaiporiguasuvéima hi'upyrã. Umi oñembosako'iva'ekue añoite ikatúta ombohovái hekopete ko'ã ára vai. Upégui ou peteĩ jepokuaa tuja he'íva ojejapova'erãha peteĩ tuicha ha héva jopara ha ipype oñemoĩva'erãha locro térã locrillo ha heseve kumanda ha avei kurapepẽ, sevói, tomáte, kuratữ ha kesu paraguái. Umíva oñembopupu are porã ha, ágã oĩmbávo, oikóta ichugui pe tembi'u ojehecharamove ha hevéva ñane retãme.
Todos sabem que outubro passa-se muita dificuldade, antes que a terra comece a produzir, outra vez, seus frutos: milho, mandioca, frutas, etc.. Em outubro não há muitos produtos comestíveis. Somente os que são previdentes poderão sobrepujar os tempos ruins. Dai vem a tradição antiga de preparar um suculento e abundante jopara usando como ingredientes, os quase únicos produtos disponíveis: o locro (cozido de milho seco), locrilho (cozido de milho verde) e o feijão; que acompanhados de verduras: abóbora, cebola, tomate e coentro e muito queijo Paraguaio. São fervidos por várias horas até que, pronto, se converta em um dos pratos típicos mais apreciados e deliciosos do país.
Pe ñembopupu niko ojejapo peteĩ japepópe -kuarepotígui ijapopyréva- oñemboguapýva tatapỹi térã jepe'a akuporãva ári. Jopara apo niko oñepyrữ kuarahy resẽre. Ijyképe avei oñembopupu mandi'o ojepurútava tembi'u týraramo. Upe árape, okaháre, jajuhúta opaite oikóva peteĩ ogapýpe, asaje jave, oñemboja ha oguapyha oñondivepa ha okaru tuicha porã hikuái, hyvatãmbóte peve. Péicha jeko oñembohovaiva'erã ko jasy ijetu'úva.
O cozido se faz em uma panela de ferro, com fogo de carvão ou lenha, no tradicional braseiro. A preparação do jopara começa ao nascer do sol. Ferve-se, também a mandioca que se converterá na mistura mais indicada para o jopara. Nessa época, a família toda se reunirá em torno da mesa, no almoço, para consumir o jopara e a fumegante mandioca, a modo de preparação para suportar este mês de carências.
Ha upe asaje pukukue javeve ndaje Karai Oktúbre oikundaha oparupiete ome'ẽvo po'a umi oñembosako'iva'ekuépe; ha oha'uvõ haguã umi oñembotavyva'ekuépe. Umi ndojapoiva'ekue mba'eve ha ndorokóiva hi'upyrã, imboriahu ha ohasa'asýta upe ary; ha katu umi oñembosako'iva'ekue ha ojapóva jopara, ohasaporãta upe ary; ndohasamo'ãi hikuái ñembyahýi ha oikóta vy'apavẽme.
E nessa hora, dizem, sairá o Senhor Outubro percorrendo todos os lugares para dar sorte aos que se prepararam. Aqueles que não fizeram nada e que não têm comida receberão a maldição de ter um ano de dificuldade; no entanto, aqueles que prepararam o jopara, não passarão fome e terão um ano de abundancia e a felicidade.
Ko'ãga rupi hetápe, oikóva tavaguasuháre, hasyvéma ojapo haguã upe jopara okaháre ojajapoháicha; upévare, upe árape, jahecháta mba'apoharakuérape osẽrõ imba'apohágui sapy'aitemi, ohekávo ñemuhaguasu térã tembi'u'aporenda, ha upépe ojeruréta hikuái pe jopara hetéva. Umírupi hetaiterei ojejapóta jopara ikatuhaĝuáicha ohupyty opavavépe. Upeichaite avei ojehúta umi ñane retãygua ambue tetãre oikóva rehe. Katuete niko ojapóta hikuái upe jopara, ohenonde'a haguã peteĩ ary neporã ha henyhẽva po'águi; térã katu, ojapóta hikuái upe tembi'u imandu'amívontejepe pe jepokuaa tujaitére, ombojeguáva ñane reko tee.

Não obstante a "modernidade" dificulta um pouco a elaboração do jopara, seguindo o ritual antes mencionado; é por isso que essa data, nos centros urbanos, onde as pessoas trabalham em escritórios e já não têm o tempo necessário para preparar o jopara, ocorrerá um fenômeno novo, mas interessante: ao meio-dia todos irão aos mercados municipais ou centros gastronômicos para solicitar seu prato de jopara. É assim que estes centros comerciais prepararam litros e litros de jopara para poder satisfazer a grande demanda que haverá no dia. Sem temor a erros, é certo, que os numerosos paraguaios disseminados por todo o mundo também prepararão o jopara, a fim de esperar um tempo novo, de abundancia ou mesmo que seja só para cumprir com uma das tradições imperecível do país, dando-lhe vigência… Não importa onde; o que demonstra que, levando em conta tudo, a tradição continua.
Opa ko'ã mba'e rire, hi'ãiteva'erã opavavépe ohupyty pe lókro, po'a reruha.
Depois de todo o exposto, desejo-lhes um cordial, bom apetite, na hora de servir-se seu grande prato de jopara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguyjevete ne ñe'ë. Obrigada pelo teu comentário.