17/12/10

Pimpinela, mbói hãi’ỹva


Kuatia ñe'ẽ teko mba'eapo: CFA / Livro artesanal: Cecy Fernandes de Assis

Tradução: Cecy Fernandes de Assis
Haipyre: Ndojekuaái Ijapohare / Texto: autor desconhecido

Dicionário Guarani / Português:
 http://www.livrariasaraiva.com.br/pesquisaweb/pesquisaweb.dll/pesquisa?ID=BACC4EB17DA0C0D07223A0967&PAC_ID=18659&ESTRUTN1=0301&ORDEMN2=E&PALAVRASN1=cecy+fernandes+de+assis&ORDEMN2=E&FILTRON1=X&image2.x=19&image2.y=20


Ojapóvo apu'apo tuicháva / Fazendo bolas enormes
Ichíkle reheve / com sua goma de mascar
Pimpinela, iporãite, / Pimpinela, muito linda,
Osẽmi oguata jahávo / saía a passear.
   
Ára jerembotýpe / Nas festas de aniversário
Ohómi horyete / ia toda contente
Ha upéicha heta jevy, ho'umi heta mba'ehe'ẽ / E assim muitas vezes, comia muitos doces
Ho'umi jey'urãhe'ẽ / bebia refrigerante.
   
Peteĩ mitãicha / Como algumas crianças,
Noñangarekói hãikuéra, / não cuidava de seus dentes,
Hesaraimi mosỹhagui / Esquecia-se da escova
Ijarýi ome'ẽrei ichupe / que sua avó deu-lhe de presente.
   
Peteĩ ára, upéicha sapi'aite / Um dia, assim de repente,
Pimpinela ojuhu / Pimpinela descobriu...
Peteĩ hãi iporãva / um dos seus lindos dentes
Puft ... Puft... Rei, rei ohãitykapa / Sem mais nem menos, caiu. 
Ha voíta ambue kuéra ohãitykapa avei, / E logo outros caíram também,
Ohejávo Pimpinela / deixando Pimpinela
Tãi'ỹrete jurúpe / sem um dente na boca.

Ko'ãga ha'e peteĩ mbói hãi'ỹva. / Agora ela é uma cobra banguela.
Ambue kuéra ka'aguy mbói / As outras cobras do bosque
Ohechaukávo ñemohãimbiti jurúpe / Mostrando os dentes da boca,
Opukápa ohechávo Pimpinela / Riam vendo Pimpinela
Ho'únte juky / Apenas tomando sopa.
   
Mbói rãi'ỹre ndosu'úi / Cobra sem dente não morde
Avei nomondýiri avave / Também não assusta ninguém,
Omo'ãi upéicha, Pimpinela / Pensando assim, Pimpinela
Oñongatu nde pirapire sa'i sa'i / Guardou vintém por vintém.

Ha pirapire voko pype / E com dinheiro na bolsa,
Ha'e gua'u hína peteĩ apohara ha'ete / Fingindo ser uma artista,
Oho amombe'u ipo'a'ỹ / Foi contar o sua má sorte
Iñirữ tãipohãnoharã / A seu amigo dentista.
   
Ko'ãga, jevy horyete / Agora, de novo, contente
Hory jepéva, ha'e oimo'ã / Tão feliz, ela jura:
Omosỹi va'erã memetegua / Vai escovar para sempre
Hãijoapy iporãva / Sua linda dentadura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguyjevete ne ñe'ë. Obrigada pelo teu comentário.