06/03/2010

Ñe’ẽjoapy - frases

http://guaraniportugues.blogspot.com/
Tradução para o guarani: Cecy Fernandes de Assis

Mba'e ánga'ỹva, ho'o.
As coisas que não tem alma tem carne (Milton Hatoum).
Teko apyra'ỹ oĩ mba’e oñekirirĩva.
A eternidade está nas coisas que se calam (Milton Hatoum).


Modo Volitivo / Oxalá - Modo que expressa vontade.



Ta'anga: Ancolie (Aquilegia vulgaris L.)
Albercht Durer
http://guaraniportugues.blogspot.com/
http://guaraniportugues.blogspot.com/
Tradução para o guarani: Cecy Fernandes de Assis
Modo Volitivo / Oxalá - Modo que expressa vontade.
Ñe’ẽjoapy - Frases(Frases do livro Guaraní a su alcance: Bartomeu Meliá, Luis Farré, Alfonso Pérez. CEPAG, 1997
Modos de expressar em guarani o modo volitivo (oxalá, tomara Deus, praza os céus).
To
Tou katu: Oxalá venha.
- Mba’e piko pe eréva: O que dizes?
- Tou katu: Oxalá venha!
Ere ichupe tou. Diga-lhe que venha.
Eguapy, che karai, tamombe’eu ndéve: Sente-se, senhor, para que (eu) te conte.
Taha taheka, tame’ẽmi ichupe kambimi: Vou buscar e dar-lhe um pouquinho de leite.
Eha’arõ teme’ẽ ndéve pe nde poravi: Espera que te dê teu destino.
Taha taru che mbaraka ha toromoirũ. Vou trazer meu violão e acompanhar-te-ei.
Ta’upami kóva ha taha.
Tupasy ta pende rovasa: Que virgem vos bendiga.
To’u ho’uséva: Qua o que queiram.
Tojapo’ỹ hembiapo ha tahechauka ichupe máva che. Que não faça seu trabalho e vou mostrar-lhe quem eu sou.
Hi’ã, hi’ãnte, com ou sem dativo
Hi’ãnte (chéve) oguahẽ ko’ãga.
Toguahẽ voi, hi’ãnte oguahẽ voi... Oguahẽ voi nga’u... Hanga’u oguahẽ voi (nas quatro formas): Oxalá cheguem logo.
Hanga’u antes do verbo ou nga’u depois do verbo.
Nestes casos usa-se ra’e no final da frase como reforço:
Hanga’u ogana ra’e: Oxalá ganhe.
Osẽ nga’u voi ko’águi: Oxalá saia logo daqui.
Ou’ỹ nga’u. Oxalá que não venha.
Oike’ỹ nga’u: Oxalá que não entre.
Oje’i nga’u japugui ra’e: Oxalá se aparte da mentira.
Para expressar desejo ou vontade de uma ação que não chegou a acontecer e portanto, já irrealizável, troca-se ra’e por raka’e.
Agana nga’u raka’e: Oxalá houvesse ganhado.
Oky nga’u raka’e: Oxalá houvesse chovido.
A negação pode ser feita com nd...i ou ’ỹ,
Omano’ỹ nga’u: Oxalá não morra.
Namanói nga’u: Oxalá não morra.

03/03/2010

Sasõ ñe’ẽguýpe, Ita ha yvoty mbyte - Octavio Paz Entre la piedra y la flor


Tradução para o guarani: Cecy Fernandes de Assis
“Mbyja kuarahýre ojeréva oñemoambue viru,
viru oñemoambue papa,
papa oñemoambue ho’u ára,
ára ho’u avá,
viru ho’u ára.
... Viru nde’íri ndeku:
viri he’i mbovípa.”
Sasõ ñe’ẽguýpe, Ita ha yvoty mbyte - Octavio Paz Entre la piedra y la flor
“O planeta transforma-se em dinheiro,
O dinheiro transforma-se em número,
O número come o tempo,
O tempo come o homem,
o dinheiro come o tempo.
... Dinheiro não diz tu és:
dinheiro diz quanto.”
Libertad bajo palabra, Entre la piedra y la flor - Octavio paz

01/03/2010

Ida Talavera - Ñe’ẽpoty - Poesia

Ta'anga: Artista Gail Niebrugge



Purahéi pyahu
“Yma asyetéma, che ryke’ykuéra,
tyryryhápe jaiko mayma,
tekotevẽma ñande
ojoykére
ñahenonde’a ko’ẽju rape.”
  • Canto Novo
Tradução: Cecy Fernandes de Assis
“Há tanto tempo, meus irmãos,
Que vivemos todos arrastando-nos,
É preciso que juntos
Enfrentemos o caminho do amanhecer.”

Modo optativo do verbo em guarani.




http://guaraniportugues.blogspot.com/
Cecy Fernandes de Assis
Para fazer o modo optativo dos verbos em guarani usamos os prefixos: Ta, Te, To.
Os prefixos Ta, Te, To dão ao verbo um significado de vontade, mando, desejo e licença.
Este modo tem outros usos que podem se confundir com o subjuntivo ou imperativo.
Toho: Que se vá.
Taguapy: Sentar-me-ei.
Conjugação do verbo areal
Taiporu, tereiporu, toipuru, tajaiporu, toroporu, tapeiporu, taiporu hikuái: Que eu use, usá-lo-ei, que tu uses, que ele use, etc,
Conjugação do verbo chendal
Ta che mandu’a, ta ne mandu’a, ta imandu’a, ta ñane mandu’a, ta ore mandu’a, ta pene mandu’a, ta imandu’a hikuái: Que eu lembre, lembrar-me-ei, que tu lembres, que ele lembre, etc.
  • Em guarani as formas mais usadas são:
Primeira e terceira pessoas do singular e plural.
  • Para indicar as pessoas restantes, pouco usadas, usam-se as formas do imperativo, originando uma conjugação mista.
Tahecha, ehecha, tohecha, jahecha, torohecha, pehecha, tohecha hikuái: Que eu veja, lembrar-me-ei, que tu vejas, que ele veja.
  • Quando preceder um verbo ou complemento direto usa-se Ta.
Mburuvicha ta ne rendu: Que o chefe te ouça.
Antes do pronome ro usa-se to.
Torohecha: Que te veja.
  • A negação é formada com o sufixo ‘ỹ posposta ao verbo.
Topuka’ỹnte: Que não ria.
  • Quando se usam fórmulas do imperativo normal, a negação também é normal.
Ani reho: Não te vás.

Ñe’ẽjoapy - Frases(Frases do livro Guaraní a su alcance: Bartomeu Meliá, Luis Farré, Alfonso Pérez. CEPAG, 1997)
Néi, taike sapy’ami: Bom, vou entrar um pouquinho.
Tove tosẽmi: Deixe que saia um pouco.
Tove taijyvytumi che sako: Deixe que eu areje um pouco meu casaco.
Tapytu’umi ko ne oikẽ jaikehápe, che ama. Vou descansar um pouco em seu portal, minha senhora.
Tupãsy toma’ẽ ñanderehe: Que a Virgem olhe por nós!
Taha mandi avei che: Logo ir-me-ei, também.
Tove katu, tou hikuái: Bom, que venham!
Tapesẽ porãite, che ra’y kuéra: Que saiam muito bem, meus filhos!
Ha’e ta ne rendu, che ama: Que ele te ouça, minha senhora.
Topuka’ỹnte: Que não se ria.
Ani remonda, he’i mburuvicha: Não roubem, disse o chefe.
Nde, mitã, anikéna rejahe’o. Tu, menino, não chores.
Tove toho, tove tou: Deixe que vá, deixe que venha.

28/02/2010

Arte y bocabulario de la lengua guarani



http://guaraniportugues.blogspot.com/
Arte y bocabulario de la lengua guarani
Por Antonio Ruiz de Montoya
http://books.google.com/books?id=TeTs0bFG-fcC&dq=arte+y+bocabulario+de+la+lengua+guarani&hl=pt-BR&source=gbs_navlinks_s
Aparecera sempre no marcador: Montoya
http://guaraniportugues.blogspot.com/
Transliteração para o português: Cecy Fernandes de Assis


Capítulo 5
Conjugação dos verbos (páginas 44 a 46 )

Os verbos se dividem em ativos, passivos, neutros e absolutos. Todos eles têm suas negações e são conjugados com sete Notas (prefixos): três para o singular e quatro para o plural.
Singular: A, ere, o
Plural: oro (exclusiva), ja (inclusiva), ña (para nasal), pe, o.
Presente do indicativo, afirmativo e negativo
Ambo’e, rembo’e, ombo’e: Eu ensino, tu ensinas ele ensina.

Nambo’éi, nerembo’éi, nombo’éi: Eu não ensino, tu não ensinas, ele não ensina.

Orombo’e, ñambo’e, pembo’e, ombo’e: Nós ensinamos, nós ensinamos, vós ensinais, eles ensinam.
Norombo’éi, nañambo’éi, napembo’éi, nombo’éi: Nós não ensinamos, nós não ensinamos, vós não ensinais, eles não ensinam.
Futuro imperfeito: indica um futuro possível, pode ou não acontecer.

Ambo’éne rembo’éne, ombo’éne: Eu ensinarei, tu ensinarás, ele ensinará.

Nambo’éi chéne, nerembo’éi chéne, nombo’éi, chéne: Eu não ensinarei, tu não ensinarás, ele não ensinará.
Orombo’éne, ñambo’éne, pembo’éne, ombo’éne: Nós ensinamos, nós ensinamos, vós ensinais, eles ensinam
Norombo’éi chéne, narembo’éi chéne, napembo’éi chéne, nombo’éi chéne: Nós não ensinaremos, Nós não ensinaremos, vós não ensinareis, eles não ensinarão.

* Para saber mais sobre o pretérito perfeito, pretérito mais que perfeito, futuro perfeito, ver notas sobre a conjugação verbal.
Imperativo

Embo’e, terembo’e: Ensinas.
Embo’e’ỹme, ani mbo’e: Não ensines.
Tombo’e: Ensine.

Tombo’e’ỹme, ani tombo’e: Não ensine.
Pembo’e, tapembo’e: Ensinai.
Pembo’e’ỹme, tapembo’e’ỹme, ani pembo’e, ani tapembo’e: Não ensineis.

Tombo’e: Ensinem.

Tombo’e’ỹme, ani tombo’e: Não ensinem.

Optativo: É o modo verbal que traduz desejo. Em português, o subjuntivo em orações independentes (Oxalá faça bom tempo!) e em orações subordinadas que dependem de verbos que revelam desejo (Espero que sejas feliz).

Ambo’e tamõ (ambo’e tamo ra’e): se ou que eu ensine, se eu ensinasse, se eu ensinara, se eu tivesse ensinado.

Nambo’éi cetamõ (nambo’éi tamo ra’e), ambo’e’ỹ tamo: se ou que eu não ensine, se eu não ensinasse, se eu não ensinara, se eu não tivesse ensinado.
* para saber mais veja adiante notas sobre o optativo.
Subjuntivo
Ambo’e ramo: Como eu ensine ensinando eu, ensinara, ensinasse.

Ambo’e’ỹ ramo, nambo’éi ramo: Como eu não ensine, ensinando eu, não ensinando eu, se eu não ensinara, se eu não ensinasse.

* para saber mais veja adiante notas sobre o subjuntivo.

Modo Permissivo

Tambo’e: Ensine eu, seja-me lícito ensinar, quero, deixe-me, dê-me licença para ensinar, ensinarei.

Terembo’e: Ensines.
Tombo’e: Ensine
Torombo’e, tiñambo’e, chambo’e: Ensinemos.

Tapembo’e: Ensinais.

Tombo’e: Ensinem.

Tambo’e eme: não ensine eu, não seja-me lícito ensinar, não quero, não deixe-me, não dê-me licença para ensinar, não ensinarei.

Terembo’e eme: Não ensines.

Tombo’e eme: Não ensine.

Torombo’e, tiñambo’e, chambo’e eme: Não ensinemos.

Tapembo’e eme: Não ensinais.

Tombo’e eme: Não ensinem.