23/09/2011

Yvoty Ára / Primavera

http://guaraniportugues.blogspot.com/
 Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani. Cecy Fernandes de ASSIS

Pedro Encina Ramos
Yvoty ára / A Primavera,
Mayma yvoty. / Todas as flores,
Rósa ha lírio, / Rosa, lírio,
Klável ha roméro, / Cravo e alecrim,
Pe ñane ãnga  / E nossa alma
Ombohory. / Se alegra.
Guyra oiméva  / Todos os pássaros
Pe ñande ári  / Sobre nós
Ojeroky. / dançam.
Yvotytýre  / Sobre as flores
Panambi háma / E por seu turno, as borboletas,
Ha iñirŭhára / E seus amigos
Ku mainumby. / Beija-flores.
Yvoty ára  / A Primavera
Iporãitéva  / É mais linda
Ombohorýva / ao alegrar
Ñane ñe’ã / Nossos corações
Ipyahupáma / Renova outra vez tudo
Opa oiméva. / O que existe.
Peju mbyakuéra / Gente,
Ñamomorã. / Celebremos.

22/09/2011

Ñe’ẽryru SMS / Dicionário de SMS - Espanhol

http://guaraniportugues.blogspot.com/
 Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani. Cecy Fernandes de ASSIS
Dicionário de termos SMS - Espanhol


http://www.diccionariosms.com/contenidos/sms_index.php3?body=consultarsms

Urunde'y mombe'upy / A lenda da aroeira

http://guaraniportugues.blogspot.com/ 
 Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani. Cecy Fernandes de ASSIS

Urunde'y mombe'upy / A lenda da aroeira
Urunde’y - Myracrodruon urundeuva Fr. Allem.

Ohai: David Galeano Olivera: http://dgaleanolivera.wordpress.com/la-leyenda-de-urunde-urundey/
Guaranikuéra niko oguerekojepékuri heta tekoverechapyrã, guarini ha’evéva, hekoha motenondehára; ha ja’eporãtarõ, Urunde ha’eva’ekue umi rehegua.
Os Guarani tiveram muitos heróis, valentes guerreiros, líderes de suas respectivas comunidade, e precisamente, Urunde foi um desses homens.          
   Urunde ha’ehague Uruguasu ñemoñare. Uruguasu niko peteĩ Guarani Rekoha Guasu Mburuvichakue. Ko tekoha guasu oñemohendava’ekue Y Paraguay rembe’ýpe. Uruguasu niko ohekombo’ékuri ita’ýra Urundépe oiko haguã ichugui peteĩ motenondehára guasu, iñe’ẽngatúva, iñarandúva, hekokatúva, omyengoviakuaátava ichupe -hi’aramano rire- tekoha guasu ñemotenondépe… Haañetehápe, upeichaite oikókuri.
Urunde foi filho de Uruguasu, Chefe de uma Grande Aldeia Guarani localizada  em uma das margens do Rio Paraguai. Urunde foi criado por ele para ser um grande líder, um grande orador, um sábio, um homem pleno, que, ao morrer. Sucedeu-o no governo da grande aldeia Guarani… E em verdade, assim aconteceu.
Peteĩ ára, hetaitereirasa kuarahyresẽ ohecha rire, Uruguasu omano. Tekoha tuichaháicha ombyasy pe karai guasu ñemano. Ha’éniko heta ombovy’apavẽkuri opavavete oikóva guive upe tekohápe. Ita’ýra Urunde niko ojapókuri ijapeporã, oñotỹkuri chupe maymaite ñemoirũ rupive ha upehague omyengoviákuri itúvape ha oiko ichugui upe tekoha guasu Mburuvicha.
Um dia, depois de ver muitos amanheceres, Uruguasu morreu. Toda a aldeia lamentou a morte desse grande homem. Ele que trouxe dias felizes a todos os membros da aldeia. Seu filho Urunde fez-lhe uma urna funerária, enterrou-o em companhia de toda a aldeia e logo o sucedeu como chefe da grande aldeia.
Urunde ndopytái tapykuépe. Ombojoapyvékuri itúva remimo’ã. Upeichahápe, ára ha ára, oñeha’ãkuri omboguata hetã tekojoja rape rupi, arandu rekávo, tekosã’ỹ moañetévo, oikuaaporãgui umíva ha’eha tembipuru oguerahátava ichupekuéra tekokatu repére ohupyty peve Yvy Mara’ỹ.
Urunde não ficou atrás. Continuou com as ideias de seu pai. Foi assim que em todo tempo esforçou-se para que seu povo andasse pelos caminhos da justiça, da sabedoria, da liberdade, ferramentas necessárias para conseguir vida plena que finalmente os conduziria  à Terra sem Mal.
Tekoha Guasu oiko tapiaite py’aguapýpe. Péicha, kuña oñangareko aja tapỹi ha imembykuérare ha upekuévo ojapo aja tembi’u ha ijaorã karanda’ýgui; Urunde osẽmiva’erã heta kuimba’ekuéra ndive ohekávo hembi’urã: pira, eirete, yva, y ha jepe’a. Pyharekue, vy’apavẽ oñemomba’e hesekuéra ha maymáva ohua’ĩ oñombyatývo opýpe -oñopehẽnguéicha- omomba’eguasúvo Ñande Rúpe, ñembo’e jeroky rupive.
A grande aldeia vivia sempre tranquilidade. Assim, enquanto as mulheres cuidavam da casa, a dos filhos e preparavam os alimentos e os tecidos feitos de karanda’y, Urunde saia com vários homens da grande aldeia a buscar os produtos para a subsistência: peixes, mel, frutos, água e lenha. De noite, a felicidade de apoderava da grande aldeia quando se reuniam no templo -como uma só família- a honrar a Ñande Ru, mediante suas orações, danças e cantos.
Jepémo upéicha, sapy’apy’a, ojeitýjepi hi’arikuéra umi Pajagua ñaña. Upéicha jave, Urunde ha iguarinikuéra ohechaukájepi ipy’aguasuha ha jetyvyro ijojahaỹva rupi akóinte omosẽmiva’erã Pajaguakuérape hekoha guasúgui ha omuñájepi chupekuéra, ygakuérape, Y Paraguay mboypýri peve.
Umi ñorairõ rire ojejapómiva’erã vy’arã’aty ndetuichapajepéva. Oĩ he’íva ndaiporihavoi -Guaranikuéra apytépe- peteĩ Mburuvicha ojehecharamo ha ojehayhuvéva Urundégui, ha’éva peteĩ kuimba’e hekotuju’ỹva, imbarete, hatã, ijyvateporã ha hekoverosã añetetéva; are omotenondeva’ekue pe hekoha guasúpe.
Assim, às vezes, sempre se atiravam sobre aqueles  maus Paiaguá(s). Assim naquele tempo, Urunde e seus guerreiros mostravam sua coragem e em memoráveis ações sempre conseguiam expulsar os Paiaguá(s) de suas terras. Urunde e seus guerreiros  Perseguiam-nos, em suas canoas, até o outro lado do Rio Paraguai.
Realizavam-se grandes celebrações depois  dessas batalhas. Dizem que -entre os Guarani(s)- poucos chefes chegaram a ser tão admirados e queridos como Urunde, um homem incorruptível, forte, duro, de estatura alta, de grande resistência; quem governou por vários anos sua grande aldeia.
Peteĩ ára, itujamímavo, Ñande Ru ohenói Urundépe ha hi’ãnga ojehekýi ñande apytégui ha oho Yvy Mara’ỹme, ha’éva upe tenda ohupytýva umi heko’aguyjéva. Guarani Tekoha Guasu, tuicha temimbyasýre, oñotỹkuri hetekue peteĩ japepo neporãmbajepévape, Y Paraguay rembe’ýpe, ha omomaña hikuái chupe Aragua Yvypehẽ gotyo akóinte omondýi haguã Pajaguakuérape, araka’eve ndaipu’akaiva’ekue hese.
Um dia, já muito velho, Ñande Ru convocou a alma de Urunde à Terra sem Mal, lugar destinado a os seres perfeitos. A grande aldeia Guarani, com grande pesar, se encarregou de enterrar seu corpo em uma linda  urna funerária,  na margem do rio Paraguai, olhando para a outra margem como para atemorizar para sempre a os temíveis índios Pajaguá(s), que nunca puderam vencê-lo.
Ñande Ru ohechakuaa Guarani Rekoha Guasuygua remiandu. Omoheñói upepete peteĩ yvyra pyahu. Hekotuju’ỹva, hatã, ijyvateporã ha hekoverosã añetetéva.
Guaranikuéra omboherava’ekue upe yvyrápe: Urunde’y, ohechakuaávo pe guarini guasúpe are omotenondeva’ekue chupekuéra. Ko’ãga peve Urunde’y ha’e yvyra ojehecharamo ha ojehayhúva ha kóva niko ha’e pe mombe’upy imandu’áva pe yvyra porãitére.
Ñande Ru entendeu o sentimento dos membros da grande aldeia Guarani, Fez crescer uma nova árvore naquele lugar. Uma árvore incorruptível, forte, dura, de estatura alta e de grande resistência. A qual os Guarani batizaram Urunde’y, nome daquele grande guerreiro que por muito tempo os governou. Até hoje o Urunde’y é uma árvore muito admirada e apreciada; e esta é a lenda dessa formosa árvore.

Ipahápe, tekotevẽ ñamyesakã pe ñe’ẽpehẽtai upeigua “y” he’iseha “yvyra térã ka’avo”, upévare omoirũjepi opavavete nunga yvyra rerakuérape (urunde-y, karanda-y, guapo-y, kurupa-y, jata-y, juasy-y, amba-y), ha he’õháme katu, pe “y” he’ise “ysyry” hetahápe peteĩchagua pira térã ambue mymba oikóva ýpe ha y jere rupi (suruvi-y, pirape-y, jatyta-y, akara-y, javevýi-y). Opaite ko’ã téra niko aretereiguaréma; oĩmava’ekuevoi Colón oguahẽ mboyve Amérikape; ja’eporãsérõ, ary 1492 mboyve.
* A partícula sufixa -y quer dizer árvore ou planta.  Por isso aparece  na denominação de praticamente todas as variedades florestais: Urunde’y, karanda’y, guapo’y, kurupa’y, jata’y, juasy’y,amba’y.
E em zonas aquáticas o sufixo -y serve para indicar rios, arroios ou cursos de águas, com abundância de determinados peixes ou outras espécies e variedades aquáticas: suruvi’y, pirape’y, jatyta’y, akara’y, javevýi’y. Todos estes nomes são muito antigos, correspondem à historia da América pré-colombiana; isto é, de antes de 1492.

20/09/2011

11 Jeporu ndojeporuvéimava vódka ndajepýi / 11 usos inusuais para Vodka barata.

http://guaraniportugues.blogspot.com/ 
 Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani. Cecy Fernandes de ASSIS
Bebida alcoólica deve ser usada com cuidado e só por adultos.
Vódka / Vodka - (russo: во́дка; polonês: wódka).
Téra / Nome - Vodka he’ise y michĩmi. / Vodca é o diminutivo de água, significa aguinha. Jey’urã alkonohẽ, kolo’ỹ ha he’ỹ haimete / Bebida destilada, incolor e quase sem sabor.
Álko ha’ã. Mbytére / Teoralcoólico - / Entre 35 e 60% .
Ka’avo ojeporu - Seváda, avati, avatimirĩ, centéno, ka’avo ambue, guapo’i térã jety haguyñopyre / Cevada, milho, trigo, centeio, ervas, figos ou batatas, fermentados.
Jeporu
1 – Ao hetŭ vai amombia haguã. Emboja’o joja y ha vodka reve. Emoĩ espréipe. / Remover odores das roupas. Misture partes iguais de água e vodka. Coloque no spray.
2 – Tesajoapyamopotĩ haguã. Omboja’o joja y, vodka ha 5 kavõ mba’e ay rykýgui. Emoĩ espréi michĩme. Aníke ojeporu mbotuvichaha ñemondepyre. / Limpar óculos. Partes iguais de água e vodka e 5 gotas de detergente. Coloque no spray pequeno. Não use em lentes revestidas.
3 – Anohẽ haguã aysy  herahaipy ha chiclégui. Eiporu Vódka Poti. / Tirar cola de etiquetas e chicletes. Use vodka pura neles.
4 – Anohẽ pytune vai. Eñembojehe’a vódka rehe kanéla, ka’arẽ terã  limasutĩ  rykykuégui. Ejeheja upéicha mokõi pokõiraty. Ejejuruhéi ha upéi endyvu.  / Tirar mau hálito. Misture vodka e gotas de óleo de canela, hortelã ou limão e deixe descansar por quatro semanas. Enxague e depois cuspa.
5 – Añongatu yvoty pyahu. Eñembojehe’a peteĩ ygua kuipe vodka ha asúka y rehe amoakĩ haguã. Vódka ojuka baketéria. /  Conservar flores frescas. Adicionar uma colher de chá de vodka e açúcar à água para molhar. A vodka mata as bactérias.
6 – Mbujape pororove.  Ehekovia y roy’sã vodka rehe. Vódka  omotĩmbóta.  /  Torta mais crocante. Substitua a água gelada por vodka. A vodka irá evaporar.
7 – Ñongatu héva. Vódka iñongatu hévagui. Emoĩ mbayru potĩme Vódka ha vauníja, ani, kanéla, umívaha oĩta ha’ete porãiterei. Conservador de sabores / A Vodka é um conservante de sabor. Coloque em vasilhas limpas vodka, baunilha, erva-doce, canela, etc. e terá uma ótima essência.
8 – Amopotĩ ovetã. Emboja’o joja y ha vodka reve. Emoĩ espréipe ha eiporu kuatia  potĩngue porã haguã.  Limpar janelas / Partes iguais de água e vodka. Coloque no spray e use jornais para uma perfeita limpeza.
9 – Anohẽ ine vai sapatúgui. Emongu’i vódka hese. By by ine vai. Tirar mau odor dos sapatos – Pulverize vodka neles. Tchau fedor.
10 – Ajohéi áva. Peteĩ ygua Vódka  ha mokõi kuipe alekrim roguégui ha ejeheja upéicha mokõi ára. Embogua ha eiporu amombia champu hembyre. / Enxaguar cabelos. Uma xícara de vodka e duas colheres de folhas de alecrim e deixe descansar por dois dias. Coe e use para remover resíduos de xampu.
11 – Añemopotĩ haguã. Vódka iñirŭ’ỹ vaktériagui. Eiporu Vódka ajepohéi haguã.  Desinfetar as mãos.  / Vodka é um inimigo de bactérias. Use-a para lavar as mãos.

19/09/2011

Ñe’ẽapoha ñe’ẽtéva / Vozes verbais

http://guaraniportugues.blogspot.com/ 
 Dicionário Guarani / Português, Português / Guarani. Cecy Fernandes de ASSIS

Ñe’ẽapoha ñe’ẽtéva / Vozes verbais

Ta'anga: Take a leaf out of my book: Anneke Cottle 

Ñe’ẽapoha / Voz - Voz verbal é a flexão do verbo que indica se o sujeito pratica, ou recebe, ou pratica e recebe a ação verbal.
No Guarani há seis vozes que se expressam por meios de prefixos que vão unidos às raízes: voz ativa, voz passiva, voz recíproca, voz coativa, voz objetiva e voz inclusiva.

1 - Ñe’ẽapohaite / voz ativa - Voz do verbo em que o sujeito pratica a ação. Não há prefixo, techapyrã / ex.:
æ  Ha’e oguata. Ele caminha (verbo intransitivo).
æ  Chíko ohayhu Ánape. Francisco ama a Ana (verbo transitivo).
æ  Ha’e oinupã jaguápe. Ela castiga o cachorro.
2 - Ñe’ẽapoheta / voz passiva - Voz do verbo na qual o sujeito da oração recebe a interpretação de paciente, em lugar da de agente da ação verbal. Faz-se com uso do prefixo / ñe (oral e nasal) techapyrã / ex.:
æ  Ána ojehayhu. Ana é amada.
æ  Jagua oñenupã. O cachorro é castigado.
3 - Ñe’ẽapoñondiveha / voz recíproca - É quando há dois elementos funcionando como sujeito e ambos são agentes e pacientes ao mesmo tempo. Faz-se com o prefixo / ño (oral e nasal), techapyrã / ex.:
æ  Chíko ha Ána ojohaihu. Francisco e Ana se amam (mutuamente).
æ  Jagua ha mbarakaja oñorairõ. O cão e o gato brigam (mutuamente).
4 - Ñe’ẽapoukaha / voz coativa - O sujeito é agente de uma ação que induz o objeto (ao mesmo tempo agente e paciente) a executá-la. O prefixo de voz coativa transforma um verbo intransitivo em transitivo. É expressa por meio dos prefixos: -mbo, mbu, mby; mo, mu, my (oral e nasal), techapyrã / ex.:
æ  Aguata, amboguata vaka. Caminho (intransitivo), faço a vaca caminhar (transitivo).
æ  Ha’e omomba’apo kavaju. Ele faz o cavalo trabalhar.
Quando se antepõe um prefixo de voz coativa a um substantivo, adjetivo ou advérbio estes se transformam em verbos regulares transitivos, techapyrã / ex.:
æ  Jára, ambojára. Dono, proporcionar.
æ  Katupyry, ambokatupyry. Capaz, capacitar.
æ  Aguĩ, amoaguĩ. Perto, aproximar.
5 - Ñe’ẽapoukapy / voz objetiva - O sujeito agente induz o objeto a fazer a ação do verbo que realiza junto com ele. O objeto é paciente e agente. Os prefixos usados são: ro, guero, eles indicam que os verbos estão em voz objetiva. São verbos transitivos, techapyrã / ex.:
æ  Aroguahẽ ichupe kotýpe. Eu a recebi no quarto.
æ  Ha’e ogueroguata ikavaju. Ele faz seu cavalo andar.
æ  Aguerohory Chírope. Eu felicito Isidoro.
6 - Ñe’ẽapoñemiha/voz inclusiva - O sujeito é agente, o objeto está incluído dentro do prefixo guero (para pessoas) e mba’e (para animais e objetos), techapyrã / ex.:
æ  Ñongatu, amba’eñongatu. Guardo, economizo.
æ  Mbyasy, aguerombyasy, tristeza, dar pêsames, condolências.